O dia 22 de setembro é voltado aos profissionais de contabilidade que têm como atribuições, cumprir formalidades legais e apurar o recolhimento de tributos de empresas de todos os portes. Em Roraima, estes trabalhos são realizados por meio do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas do estado de Roraima (Sescon-RR).

Atualmente, são mais de 83 mil organizações contábeis em todo o Brasil e mais de 310 mil contadores, de acordo com relatório do Conselho Federal de Contabilidade. No estado de Roraima, são 229 empresas do ramo econômico e 1,2 mil profissionais da contabilidade, conforme os dados do Conselho Regional de Contabilidade.

Com exigências rigorosas nas contratações e no cumprimento das jornadas de trabalho, além da crescente demanda por maior produtividade com menos recursos, a figura do contador é essencial para cuidar da gestão dos custos e rentabilidade do negócio.

O presidente do Sescon-RR, José Soares Belido, destacou que já existem organizações contábeis com o foco voltado para a gestão, e não somente execução da contabilidade para cumprir formalidades legais e apurar o recolhimento de tributos.

“O profissional contador é essencial para manter a saúde financeira de uma empresa e o Sescon-RR vem oferecer os serviços de assessoramento em todos os aspectos econômicos, auxiliando, assim, esses profissionais”, disse.

Imposto de renda Juiz de Fora (Foto: Reprodução/TV Integração)Em Roraima são cadastrados 1.200 profissionais
(Foto: Reprodução/TV Integração)

Para o presidente da Fenacon (Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas), Mario Berti, o contador deve ser visto como um assessor do sucesso da empresa, pois é por meio desse profissional que todas as informações do negócio passam, para então serem processadas.

“Com base nesses dados, o profissional compila números, compara desempenho, identifica quedas de receitas ou acrescimento de despesas e indica o ponto de equilíbrio. Enfim, a contabilidade pode e dever ser uma importante ferramenta de gestão, para se projetar o futuro e corrigir o passado”, ressaltou.

Mercado
Apesar do mercado promissor, estatísticas do Sistema Fenacon mostram que 70% das micro e pequenas empresas não fazem a contabilidade adequadamente.

“O advento dos SPeds Fiscal e Contábil, a obrigatoriedade da Nota Fiscal Eletrônica, o cruzamento constante de informações pela Receita Federal e a implantação do eSocial são quebras de paradigmas, que obrigaram o profissional a se atualizar constantemente. Aliás, quem se preparar para este novo mundo terá o diferencial de mercado que o fará progredir e ter clientela fiel”, disse Berti.